Entenda sobre Acabamentos de Superfície


É comum que nos solicitem “Inox Cromado” ao se referir ao aspecto espelhado do Inox e isso causa uma certa confusão, principalmente em nosso site quando solicitamos que selecione o tipo de acabamento.

Pois bem, vamos esclarecer aqui de forma bem resumida, simples, objetiva e sem entrar em muitos detalhes técnicos essas diferenças para que você possa entender, mesmo que de forma superficial, a diferença entre os principais tipos de acabamento de superfície que pode se encontrar em peças para instrumentos musicais.

Antes de mais nada, importante salientar que o resultado de um acabamento de superfície depende da superfície da peça in natura, pois a maioria desses acabamentos são de micragem (espessura) baixa e “copiam” a superfície da peça, ou seja, uma peça lisa ficará mais brilhante que uma peça escovada ou acetinada.


METALIZAÇÃO: Consiste na eletrodeposição química de cobre, níquel e cromo. Proporciona aspecto espelhado à peça e por ser possível em plásticos é normalmente utilizado em Tarraxas e peças metálicas que necessitem de cores diferenciadas como Dourado e Preto (Onix).

Resistência Mecânica: Baixa Resistência Estética: Média


NÍQUEL: Processo Galvânico por submersão que consiste em colocar uma camada de Níquel na superfície da peça. Mais utilizado em peças metálicas. Seu aspecto natural é um espelhado levemente amarelado.

Resistência Mecânica: Média Resistência Estética: Média


CROMO: Mesmo processo que o Níquel, porém é adicionada uma fina camada de cromo. Seu aspecto natural é um espelhado mais intenso e levemente azulado. Utilizado em Pontes, e em Plates diversos como Control, Neck e Jack.

Resistência Mecânica: Média Resistência Estética: Média


INOX DOURADO: Processo de sublimação atômica por meio de uma câmara a vácuo. Utilizado em peças de Inox de alto desempenho. Processo complexo, porém, extremamente eficiente. Exclusividade da Ramme Custom em peças para Instrumentos, é possível momentaneamente apenas na cor dourada.

Importante salientar que a tonalidade dourada resultante desse processo é mais escura que a tradicional metalização utilizada nas peças para instrumentos.

Resistência Mecânica: Alta Resistência Estética: Altíssima


INOX ESCOVADO: Trata-se do Inox em seu estado natural e escovado por meio de lixas onde busca-se um aspecto visual levemente riscado, porém uniforme e com riscos paralelos.

Resistência Mecânica: Alta Resistência Estética: Alta


INOX POLIDO: O resultado espelhado é obtido pela variação gradual de lixamento até chegar-se a um pano de polimento atingindo o brilho da peça do material in natura.

Resistência Mecânica: Alta Resistência Estética: Alta


Devido a suas características, o Inox não aceita tratamento de Níquel e Cromo. Mesmo que fosse possível, não faria sentido utilizá-los, pois o resultado obtido seria muito inferior a uma peça em seu estado natural.

Já a Metalização é possível no Inox, porém só se justifica quando se busca um resultado visual, como uma coloração, abrindo-se mão das resistências mecânicas e estéticas.

A resistência mecânica aqui tratada refere-se a partes que possam sofrer algum tipo de atrito, seja com fatores externos (raspar, riscar) ou de funcionamento (cordas na cavidade dos carrinhos, carrinhos que raspam na ponte, peças de movimentação etc.).

Já a resistência estética refere-se ao uso normal, sem que haja fatores mecânicos excessivos.

Uma observação muito importante é que não há tratamento de superfície eterno. Existem os que duram mais e outros menos. Isso não significa que um é bom e outro é ruim. Cada um tem uma aplicação e são utilizados conforme a necessidade e possibilidade.

Uma peça in natura, polida ou escovada, pode sofrer riscos, uma Metalizada pode desbotar e peças Niqueladas ou Cromadas podem descamar ou enferrujar.

Tudo isso depende do ambiente a que ela é exposta, do cuidado que sem tem ao manusear, da constante manutenção e limpeza e do não uso de produtos inapropriados a cada tipo de material e/ou acabamento.